A Wild People produz, Camisetas, Posters, Canecas e mais, inspirados nos Clássicos Cult do cinema, literatura e música, com estampas exclusivas. desenvolvida de fãs para fãs.
Mas não é só nas estampas que temos nosso diferencial, nossas malhas são 100% algodão penteado fio 30.1, com costuras reforçadas de ombro a ombro 
e as nossas técnicas de impressões são super modernas, sem limitações de cores, em sublimação com aplicação toque zero ou impressão direta no tecido
(DGT). 

 

Vendas online para todo o Brasil.

Camiseta Jeff Buckley

R$ 89,90Preço
Color
  • Buckley nasceu na cidade de Anaheim, Califórnia.[1] Foi o único filho de Mary Guibert e Tim Buckley. Sua mãe era descendente de gregos, franceses, norte-americanos e panamenhos,[2] enquanto seu pai era descendente de irlandeses e italianos.[3] Buckley foi criado por sua mãe e seu padrasto, Ron Moorhead, no sul da Califórnia, e tinha um meio-irmão, Corey Moorhead.[4][5] Buckley mudou-se várias vezes dentro e no entorno do Condado de Orange em sua juventude, uma criação que Buckley chamou de "pobre sem raízes".[6] Quando criança, Buckley era conhecido como Scott "Scottie" Moorhead, baseado no seu nome do meio e no sobrenome de seu padrasto.[7]

    Seu pai biológico, Tim Buckley, era um músico-compositor que lançou uma série de álbuns muito aclamada de folk e jazz no final dos anos 60 e início dos anos 70, com o qual se encontrou uma única vez aos oito anos de idade.[8] Após a morte de seu pai biológico, devida a uma overdose de drogas em 1975,[9] ele escolheu usar o seu nome e sobrenome verdadeiros, os quais ele encontrou em sua certidão de nascimento,[10] mas para os seus familiares ele continuou sendo o "Scottie".[11]

    Buckley foi criado em um ambiente de música. Sua mãe era pianista e violoncelista de formação clássica.[12] Seu padrasto o apresentou ao som de bandas como Led Zeppelin, Queen, Jimi Hendrix, The Who e Pink Floyd quando ainda era pequeno.[13] Buckley passou a sua adolescência a ouvir diversos tipos de música como blues, rock e jazz.

    Buckley cresceu cantando pela casa e em harmonia com sua mãe.[14] Ele começou a tocar com cinco anos de idade, após encontrar um violão no armário de sua avó.[15]

    O álbum Physical Graffiti, da banda Led Zeppelin, foi o primeiro disco que ele possuiu.[16] Aos 12 anos, ele decidiu se tornar músico e ganhou sua primeira guitarra - uma Les Paul preta - aos 13 anos.[17] No colégio, ele tocou na banda de jazz da escola.[18] Nessa época, ele desenvolveu uma afinidade por bandas de rock progressivo como o Rush, Genesis e Yes, assim como pelo guitarrista de jazz fusion Al Di Meola.[19]

    Após terminar o colégio, decidiu que a música seria o caminho a seguir. Com medo de ser comparado com o seu pai, Tim Buckley, em vez de cantar, Jeff decidiu inicialmente tocar guitarra.[carece de fontes] Ele se mudou para Hollywood para ingressar no Guitar Institute of Technology (atual Musicians Institute),[20] onde completou o curso de um ano de duração com 19 anos de idade.[21] Posteriormente, ele afirmou à revista Rolling Stone que o curso foi "a maior perda de tempo", mas admitiu em entrevista à Double Take Magazine que ele gostava de estudar teoria musical lá, dizendo, "eu me sentia atraído por harmonias realmente interessantes, coisas que eu ouvia em Ravel, Ellington, Bartók."[22] Diversas experiências vieram de seguida: Jeff trabalhou em estúdio, tocou em bandas de funk, jazz e punk e até mesmo na Banana Republic, de onde foi demitido após ter sido acusado de roubar uma camiseta.[carece de fontes]

    Início da carreira

    Em 1991, ao ser convidado para participar num show tributo a seu pai, Jeff resolveu cantar. A semelhança vocal com o pai (Tim Buckley) veio à tona nesse momento. Foi nesse tributo, também, que conheceu o ex-guitarrista da banda Captain Beefheart, Gary Lucas, que, impressionado com sua voz, decidiu convidá-lo para integrar a banda Gods and Monsters. Afiada tanto nas performances ao vivo como nas composições próprias, Gods and Monsters estava prestes a assinar com uma discográfica quando Buckley decidiu abandonar o projeto por achar que um contrato, naquele momento, restringiria as suas ambições musicais.

    No ano seguinte em 1992 começou a apresentar-se sozinho (voz e guitarra) num bar nova-iorquino chamado “Sin-é”. Foi no "Sin-é", segundo o próprio Jeff, onde mais tocou e gostava de tocar. Um lugar pequeno, onde as pessoas iam para conversar e não para ouvir alguém cantar músicas desconhecidas. Mas foi pela diferença que Jeff Buckley conquistou as pessoas que frequentavam o lugar. Foi nesse pequeno bar, sem palco, que um dos empresários da Columbia o viu cantar e tocar. Em outubro de 92 assinou com a Columbia Records para a gravação do seu primeiro álbum solo. Antes do álbum, Jeff decidiu fazer uma tourné pela Europa, só depois gravaria o primeiro álbum em estúdio. Nesse período, acordou também, lançar um Ep com 5 músicas, gravadas no "Sin-é".

    Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Jeff_Buckley