A Wild People produz, Moletons, Camisetas, Posters, Canecas e mais, inspirados nos
Clássicos Cult do cinema, literatura e música, com estampas exclusivas. desenvolvida de
fãs para fãs. Mas não é só nas estampas que temos nosso diferencial, nossas malhas são
100% algodão penteado fio 30.1, com costuras reforçadas de ombro a ombro 
e as nossas técnicas de impressões são super modernas, sem limitações de cores,  
impressão direta no tecido (DTF). 

 

Todos os moletons necessitam de 7 dias para a
produção.

 

Vendas online para todo o Brasil.

Avental Bordado Burroughs - Junkie

R$ 62,90Preço
Color: Preto
  • Infância e educação

    Burroughs nasceu em 1914, sendo o mais novo dos dois filhos nascidos de Mortimer Perry Burroughs e Laura Hammon Lee.[2] Os Burroughs eram uma família proeminente em St. Louis (Missouri). Seu avô, William Seward Burroughs I, fundou a empresa Máquinas de Somar Burroughs, que evoluiu para a Burroughs Corporation. A mãe de Burroughs, Laura Lee Hammon, era filha de um pastor cuja família alegava estar relacionada com Robert E. Lee. Seu tio materno, Ivy Lee, foi um pioneiro da publicidade e, mais tarde, trabalhou como jornalista para os Rockefellers. Seu pai tinha um antiquário e uma loja de souvenirs, Cobblestone Gardens, primeiro em Saint Louis, em seguida em Palm Beach (Flórida).

    Quando menino, Burroughs morava na avenida Pershing, em Central West End, em Saint-Louis. Ele estudou na John Burroughs School, em St. Louis, onde publicou seu primeiro ensaio, "Magnetismo Pessoal", impresso na John Burroughs Review em 1929.[3] Em seguida, ele frequentou a escola Los Alamos Ranch School, no Novo México, o que foi estressante para ele. A escola era um internato para os ricos, "onde os filhos dos grã-finos poderiam ser transformados em objetos masculinos".[4] Burroughs manteve um diário documentando uma atração erótica por um outro menino. De acordo com as suas próprias palavras, ele destruiu o diário, mais tarde, envergonhado de seu conteúdo.[5]

    Devido ao contexto de repressão onde ele cresceu e do qual fugiu, ou seja, uma família "onde as demonstrações de afeto eram consideradas constrangedoras",[6] ele manteve a sua orientação sexual escondida até a idade adulta, quando se tornou um escritor homossexual conhecido após a publicação de Naked Lunch em 1959. Alguns dizem que ele foi expulso de Los Alamos depois de tomar hidrato de cloral em Santa Fé com um colega. No entanto, segundo seu próprio relato, ele deixou a escola voluntariamente: "Durante as férias da Páscoa do meu segundo ano, eu convenci minha família a me deixar ficar em St. Louis." [5]